top of page
  • Foto do escritorAGCom

Quando a paixão se torna empreendimento: Goldiene Fernandes e o brechó de brinquedos

A empreendedora de 37 anos abriu seu próprio negócio em 2020 e desde lá testemunha sorrisos e sonhos realizados.


Por Mickael Marques

“Acho que é amor, cada um tem um pouco daquela criança dentro de si", afirma. Foto: Mickael Marques.

O brechó é um mercado popularmente conhecido que consegue alcançar propósitos diretamente ligados à economia e à sustentabilidade por meio da cultura do reuso. Goldiene Fernandes, 37 anos, é a mente por trás de um empreendimento que reinventa esta mesma prática e a direciona para uma nova perspectiva. Seu público não procura por roupas, móveis ou calçados como na maior parte dos brechós. No final de cada venda, seus clientes levam um brinquedo e um sorriso, que transmite toda a empolgação de quem descobriu o mundo do brincar a partir de um meio acessível.


O Brechó Kids Gold, criado e administrado por Goldiene, funciona desde 2020 e vende brinquedos usados e restaurados pela própria empreendedora. A proprietária, moradora do Residencial Macapaba, é apaixonada pelo ramo e recebe ajuda principalmente da sua filha mais nova, especialista no assunto. Sem loja física, os produtos ficam em sua casa e costumam ser levados até feiras e eventos ou vendidos de forma on-line.


Reunidos na sala onde ocorre a nossa entrevista, os bonecos são quase como uma plateia que escuta, em silêncio, os relatos de sua dona. Entre os episódios de sua carreira, narrados por ela durante a nossa conversa, os seus clientes são mencionados com frequência.


E se engana quem pensa que Goldiene atende apenas crianças. Por mais que seu público, em grande parte, seja os pequenos, ela conta sobre ter clientes adultos que costumam estar de olho nas novidades. Um deles, é uma senhora do Macapaba que, de acordo com as descrições da entrevistada, costuma chegar empolgada à procura de novas bonecas de borracha.


“Ela é louca por boneca de borracha. Ela vem suada, chega vem no sol quente com a bebezinha dela. Ela diz que é pra filha dela, mas acho que não, quando ela vê que tem, ela vem aqui direto”, relata Goldiene.


Ao provar que a relação de uma pessoa com os brinquedos não tem data de validade, a empreendedora demonstra todo seu carinho por este universo e como se sente grata por poder trabalhar com ele. Muitos dos adultos que hoje se encantam pelo mundo dos brinquedos não tiveram a oportunidade de ter um no passado e a própria empresária é um exemplo disso.


Goldiene comenta que sua infância foi com a avó no interior. Diante de sua realidade, as alternativas que encontrou para ter seus próprios brinquedos são repletas de criatividade. Maranhão é o nome de um dos bonecos que ela menciona. O bebê improvisado não saiu das grandes empresas, nem das vitrines do centro da cidade. Direto da cozinha, o boneco foi pensado a partir de uma lata de óleo enrolada em um pano. No colo da pequena Goldiene, Maranhão era a única opção para uma criança distante de uma realidade diferente. “Na minha imaginação, aquilo era um bebê”, relembra.


Essa é uma história que a entrevistada compartilha com diversas pessoas. O ato de substituir era uma medida adotada por crianças com pouco dinheiro e muita imaginação. Hoje, o reutilizar ganha espaço como uma alternativa que torna acessível o que antes podia ser visto como inalcançável e faz com que Goldinene sonhe em levar oportunidades diferentes para as demais crianças. Para que isso aconteça, os desdobramentos de quem está por trás da empresa devem ser pensados a partir dos pequenos passos efetuados a cada dia, desde o cuidado e restauração das peças até a venda e a administração dos negócios.

Com um catálogo diverso de brinquedos, Goldiene costuma vender bonecas, carrinhos e pelúcias. Foto: Arquivo pessoal.

Médica especializada em estética e procedimentos cirúrgicos


Uma das principais características que se aplicam às relações de Goldiene é a prática do cuidado. Isso reflete no seu contato com a família, com a comunidade e até mesmo em seus interesses e escolhas, como sua paixão por plantas, formação em Pedagogia e uma paixão que surgiu recentemente, ser cuidadora de idosos.


Mas, é com os brinquedos que podemos entender, na prática, como esta linguagem de amor se aplica em seu trabalho e como essa qualidade se transforma em diferentes ocupações, mesmo que isso exija novas versões de uma mesma profissional. “Uma coisa que eu gosto é de cuidar. O meu marido me falou que o que mais gostou em mim quando me conheceu é que ele disse que viu que eu era igual a mãe dele, uma pessoa que gosta de cuidar, que gosta de dar carinho e atenção”, conta.


Entre braços, cabeças e pernas, as peças que ela guardou estão todas à sua disposição. Para ajudar os bonecos que se encontram na fila de espera, precisando remendar alguma de suas partes, a médica se prepara para mais um turno . Goldene dá início a suas operações e em questão de tempo realiza todos os reparos que seus pacientes precisam para se tornarem inteiros novamente.


No trabalho, ela atende um dos seus casos mais comuns: a remoção de tinta de caneta nos corpos de suas pacientes. “Tem umas que sai com álcool mesmo outras tem que ser na pomadinha”, afirma. A descoberta veio depois de muita pesquisa. Ela descobriu a cura para um caso tão frequente e delicado. O tratamento é uma pomada da farmácia, repouso no sol por algumas horas e repetição do processo, se necessário.


Cabeleireira milagrosa e estilista de mão cheia


No salão, os casos podem ir dos mais simples aos mais extremos. Os embaraços não desanimam uma das cabeleireiras mais qualificadas da região. Suas clientes precisam estar apresentáveis para a próxima venda, no entanto, isso só será possível com o talento de Goldiene, uma quantia de amaciante e alguns minutos com o pente na mão. Não é uma missão fácil, mas com certeza não é algo impossível para alguém que saiu de um plantão cirúrgico há poucas horas.


“O cabelo, eu coloco na água quente, depois jogo um pouco de amaciante e vai escovando até ir soltando o cabelinho dela. Tem umas que chegam que não entra nem o pente na cabeça da bixinha”, relata a empreendedora.


Já na área do design e da moda, o foco é a criatividade. Para uma criança que criou o boneco Maranhão a partir de uma lata, criar acessórios e novas peças não parece ser tão difícil assim. As roupas e acessórios recebem os preparos que necessitam e outros são criados do zero. Contudo, sem os equipamentos adequados, Goldiene faz a costura inteira à mão.


Essas, são só algumas das faces de uma empresária sem medo de se arriscar em novos caminhos para disponibilizar brinquedos com qualidade. Após passar por todos esses procedimentos, uma boneca que facilmente seria jogada no lixo, devido às suas condições, agora está pronta para posar para as redes sociais e em breve conquistar um novo lar.


Toda boneca precisa de cuidados


Como toda boneca, Goldiene também precisa de cuidados. Diagnosticada com Lúpus e em um quadro delicado de saúde mental, seu estado físico e psicológico entram em conflito com seu próprio trabalho. O Lúpus, conhecido cientificamente como Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), é uma doença inflamatória autoimune. Isso significa que tecidos saudáveis do corpo de uma pessoa podem ser atacados por seu próprio sistema imunológico.


A empreendedora, diferente das bonecas que passam por sua remoção de tinta, deve evitar longa exposição ao sol, além de ter sua disposição e autoestima afetadas pelas condições da doença. Em 2020, a entrevistada conta que perdeu todos os seus dentes em um momento intenso dos efeitos do Lúpus. Posteriormente, conseguiu fazer um implante por um preço acessível.


A saúde mental é mais um problema para a jovem das bonecas. Goldiene precisa lidar com o atual quadro de ansiedade e uma recente luta contra a depressão. Em consequência disso, seu trabalho acaba sendo comprometido. Em certos dias, não há ânimo para feiras, vendas ou qualquer outra atividade.


Em uma de suas crises, o marido de Goldiene defendeu a ideia de que em momentos como esse, é preciso se distrair fazendo algo que gostamos. O conselho levou sua esposa até as bonecas. Ela me conta como essa atitude funcionou e como ela se sentiu melhor frente àqueles brinquedos. Cuidar se torna fácil e prazeroso quando Fernandes reconhece que, de algum jeito, todos que passam por seus cuidados são capazes de fazer o mesmo por ela.


“Tem dias que eu tô na crise e eu vou lá mexo com elas, brinco com elas, limpo e aí já acalma assim aquela ansiedade, além de um trabalho é uma terapia também”, garante. Enxergar o trabalho com uma perspectiva positiva faz com que em dias difíceis a entrevistada possa se conectar com a ótica infantil que faz da vida um pouco mais leve e menos complicada. Essa é uma das formas em que, alguém que gosta tanto de zelar pelo outro, busca por autocuidado também.

Goldiene com a filha mais velha no stand da Expofavela. Foto: Arquivo pessoal.

O mundo dos negócios


A insegurança de criar algo novo e então lidar com todos emblemas que partem daí, podem desanimar muitos que sonham com o empreender. Goldiene, que desde criança queria ter seu próprio negócio, explica estas dificuldades.


A tecnologia e a midiatização são um impasse. A entrevistada comenta não ter um domínio sobre o Instagram e o cenário digital. Para melhorar seu alcance, foi necessário começar a administrar uma conta na rede social, que usa com certa dificuldade. Com insegurança de fazer algo errado, ela diz que ainda está aprendendo. A introdução ao contexto digital está ligada diretamente com o empreender da atualidade. Goldiane, por mais que esteja buscando a melhor forma para lidar com esta área, já deu o primeiro passo.


A realidade financeira também torna-se um desafio. Às vezes, sem dinheiro, ela deixa de fazer a compra de brinquedos até que a situação possa melhorar. Atualmente, essa é a sua principal renda e é necessário ter atenção nos planejamentos e administrações voltados para manter o Kids Gold de pé.


Goldiene encontra a solução destes e outros problemas a partir de um olhar coletivo. O Brechó de Brinquedos envolve, mesmo que indiretamente, mais pessoas além de Fernandes. Os personagens mais importantes para que essa história possa ser construída estão dentro da comunidade e da própria família.


No Macapaba, as visitas são frequentes. Seus clientes estão presentes em todo o conjunto residencial. Crianças e adultos admiram as opções de brinquedos a alguns passos de suas casas. Além disso, o empreendedorismo da comunidade é interligado por meio de grupos, especialmente entre as mulheres que estão dispostas a se ajudar. Eventualmente, a localidade destaca suas produções por meio do Vitrine Macapaba, dando visibilidade a iniciativas como a de Goldiene.


Sua família atua de uma forma essencial. A entrevistada me conta sobre o papel de cada um e ressalta a importância deles na construção do que o Brechó é hoje e no que ele ainda pode se tornar. Foi graças ao pai que Goldiene conseguiu fazer a sua primeira grande compra. “Ele investiu 500 reais para que eu comprasse um fardo de brinquedos usados pelo Facebook”, conta.


A mãe é sua cliente vitalícia. Apaixonada pelos ursos de pelúcia, não deixa que o brechó de brinquedos fique sem fazer uma venda. Com colaboradores fiéis que vêem potencial no trabalho da filha, Goldiene encontra forças para persistir em seus sonhos.

Filha mais nova de Goldiene e sua bonequinha. Foto: Arquivo pessoal.

O marido é ligado às finanças e à administração. A entrevistada sorri me contando como o suporte dele é essencial para que ela não compre tudo que esteja pela frente. As filhas também são importantes neste processo. A mais velha, de 18 anos, ajuda a mãe com as redes sociais e, no início, ajudava com a maioria das entregas, por ser a única que tinha passe de ônibus e poderia se deslocar com um custo menor. A mais nova, de 06 anos, é o rosto da empresa. Uma "boneca" em tamanho real que posa para as fotos ao lado dos brinquedos. Faz graça, apresenta e fala com os seguidores, além de usar o tempo livre para organizar o espaço que chama carinhosamente de "lojinha".


É em uma das fotos que Goldiene mostra de sua caçula que podemos notar a principal razão para que ela continue dando vida ao Kids Gold. A imagem mostra a filha segurando perto de seu rosto uma boneca que afirma ser muito parecida com ela mesma. Junto da criança um sorriso, que repassa a energia necessária para que Goldiene nunca desista de seus objetivos. Afinal, é esse mesmo sorriso que a empreendedora multifuncional encontra em cada criança que consegue ajudar.


*Perfil produzido na disciplina de Redação e Reportagem II, ministrada pelo professor Alan Milhomem.


0 comentário

Comments


bottom of page