top of page
  • Foto do escritorAGCom

O São Tiago do Jornalismo: jovem ajuda colegas com dificuldade nos estudos

Atualizado: 8 de abr. de 2023

Um universitário que por meio dos estudos conseguiu mudar sua vida e, atualmente, ajuda seus colegas com as matérias da faculdade.


Por Winicius Tavares


Entrar em uma universidade pública é o sonho de muitos jovens quando finalizam o ensino médio. Mas ao conseguir a sonhada vaga no ensino superior, muitos descobrem que se manter na universidade é a parte mais difícil do processo. Porém, há “santos” para ajudar nesse caminho. É o caso de Tiago Melo, 23 anos, acadêmico de Jornalismo e que usa de seus conhecimentos para ajudar seus colegas. Muitos deles possuem dificuldades em aprender matérias com uma linguagem mais academicista e lidam em conciliar o trabalho com a vida acadêmica.


O jovem acadêmico se dedica em ajudar e aprender junto com os colegas. Foto: Winicius Tavares

O “São Tiago” do Jornalismo, além da faculdade, também estuda para concursos e vestibulares. “Acontece muita coisa na tua vida pessoal que afeta sua carreira acadêmica, é bom ter pessoas do lado que te ajudam”, ressalta Tiago. O seu diferencial começou logo no seu primeiro dia de aula. Ao invés de se reter, ele procurou conhecer todos os colegas de turma e se demonstrar uma pessoa acessível. Com isso, descobriu que a maioria dos colegas não compreendia o que era dito nas aulas, principalmente pela defasagem no nível médio. “O problema não tá na pessoa, ela só não teve a oportunidade de aprender”, afirma.





Tiago é um dos idealizadores do grupo “Resumão da Semana”, que reúne acadêmicos de Jornalismo da turma 2022. A dinâmica é simples: quem domina um assunto, ajuda os outros que não sabem. Ele conta, por exemplo, que já veio a universidade exclusivamente para dar aula aos colegas sobre lógica formal e aristotélica. Mesmo que seus colegas tenham dificuldades, ele não desiste de tentar ensiná-los. Alguns falam que não entenderam o assunto e ele diz: “sem problemas, a gente vai entender junto, manda o material que a gente vai revisar”.


Sua motivação é o simples de fato de ensinar e aprender com e para o outro. Recentemente se mudou para perto da universidade, que agora pode se dizer que é a sua casa, onde passa o dia inteiro estudando nos laboratórios. E essa vontade de ajudar vem das vivências com a família e das situações que passou pela vida.


Antes de ser aprovado no processo seletivo federal, Tiago estudou por três anos seguidos, apenas na sua própria companhia. Engana-se quem pensa que ele nasceu com alguma superdotação ou veio de uma família aplicada. Filho de um eletricista e uma doméstica, sua maior inspiração para o estudo veio de sua vó, que das vivências sofridas no nordeste brasileiro, sempre procurou o melhor para o neto.


No entanto, em 2018, após concluir o ensino médio, Tiago passou por um momento conturbado da sua vida. Em uma viagem para fora do Amapá, foi diagnosticado com depressão e ansiedade, resultando em problemas psicossomáticos que afetaram diretamente a sua vida. Ele não sabia, mas ali já estava nascendo um jornalista. Instigado pelo desconhecido, começou a ter a prática de ler livros sobre o assunto para entender o que tinha. “Era muito nublado o que iria acontecer com o Tiago no futuro. Foi a partir daí que eu comecei a ordenar minha vida”, ressalta.


Evangélico desde criança, Tiago acabou se descobrindo no catolicismo, que segue até hoje. Em meio a ausências de referências a seguir, começou a se espelhar na imagem dos santos da igreja, como Santo Agostinho e São Tomás de Aquino, que tiveram vidas conturbadas. Ele admite que a ordem religiosa foi o que fez ficar no caminho correto. “Por trás de uma vida de estudo, existiu uma vida espiritual. Se não, tudo isso não faria sentido”, relembra.


Tiago entrou em Jornalismo por motivação da sua vó, mas na verdade sonha em ser promotor de justiça. Seu amor pela escrita faz com que pense em seguir carreira de redator em um possível futuro na profissão. O futuro não podemos prevê, mas no presente podemos afirmar que Tiago tem sido um “santo” ajudando e intercedendo pelos colegas nos estudos. Afinal, santos não nascem santos, mas tomam-se. E muitas pessoas ao seu redor hoje podem chamá-lo de São Tiago do Jornalismo.


*Perfil produzido na disciplina de Redação e Reportagem II ministrada pelo professor Alan Milhomem.

0 comentário

Comments


bottom of page