• AGCom

O Destino, Evolução e Ao Cantar | Fala, Tu!

AGCOM: Saudações! Essa é a quinta edição da nossa coluna: Fala, Tu! Um local para expressar teus sentimentos, angustias, pensamentos e tudo o que desejar. Nós aceitamos crônicas, poesias, charges, fotografias, ilustrações, ou qualquer outro gênero textual. Na edição de hoje, temos três poesias de Breno Pantoja.


O DESTINO

Por: Breno Pantoja


O Sol vem surgindo,

Caminhando no clarão, um brilho tão lindo,

Tão lindo, um brilho, até então iluminando um destino,

Sim, o meu destino, até então, desconhecido.

Desconhecido, até então, o meu destino,

Descoberto pouco a pouco, em novos ciclos.

Novos Ciclos, vivo o meu destino,

Estou amando, estou infinitamente bem convencido.

Eu estive estarrecido, estava perdido,

Eu procurei um grande abrigo,

Um grande abrigo, eu procurei, e eu encontrei, foi uma benção da vida,

Apareceu uma linda menina.

A conexão intensamente de dois seres,

Já é um amor, de vários meses,

De vários meses, o amor, intrínseco, um amor eterno.

Até então, desconhecido era o destino,

Um amor tão singelo, a vida e os destino,

Somado a dois, um destino tão lindo.

O Privilégio, do destino, Tão cheios de mistérios,

Girando, girando, nesse céu, conectado ao universo,

Cheios de mistérios, e inesperados , é o coração dessa moça,

Amável, essa moça, capaz de mudar a vida e planos.

O sol vai sumindo (se pondo),

E ela uma promessa faz, e o Sol vai levando,

A Deus, o Sol vai levando, o senhor do destino,

O nosso destino, até então confusos e confundido.

Ela faz a promessa, O pedido,

Para que o nosso destino, se cruzem ao infinito.

Ao amor e a vida, ao poder da empatia,

Façamos que nosso amor viva e sobreviva.

Ao amanhecer, e ao anoitecer ,

O destino até então, desconhecido,

Se torna um futuro de sonhos construtivos perspectivos,

E de planos intensos, lindos e de vamos caminhos.


EVOLUÇÃO

Você diz que quer mudar o mundo,

Mas, eu me afasto quando você fala em destruição,

Você diz que o planeta precisa de revolução,

Eu me abalo, anos e anos, quando não se muda a estação.


Você diz, que quer o melhor das pessoas,

Eu me calo, quando você faz e propaga aquelas "coisas".

Você diz que quer uma nova política,

Mas, você falha quando novamente atrasa sua vida.


Você fala que quer o bem da natureza,

Faz aquela propaganda e militância,

Mas a sua ignorância mostra que isso não tem importância, você mata animais, devastando árvores e plantas.


Você diz que sonha em viver uma nova vida,

Eu me separo, quando você joga no chão sua dignidade e empatia.


Você diz querer mudança ao mundo.

Mas sua ignorância, ganância, propagando destruição e rebelião

Só atrasa ainda mais, a evolução em tudo.


AO CANTAR

Desperto nos teus braços,

A oscilar enquanto andas

Ao lado dela.


Desperto linda borboleta,

Propelida na luz das primaveras.

O magnetismo, o encantamento

Nas duas cores de cada olhar,

Voltou-se ao vento

Mais a ti do que a ele.

Porque o teu corpo estava

Mais ciente da dança em que tudo

Se extingue.

E estremece no despertar da vida.


Uma gargalhada ou um pranto?

Quem saberá dizer??

Oh! Linda borboleta.

___________________________________________________________________________________________


Se interessou? Então vem colaborar com a coluna “Fala, Tu!” também! Se você tem alguma dúvida, entre em contato com a gente pelo nosso Instagram: @jornalismoagcom, ou mande seu conteúdo pro nosso e-mail: jornalismoagcom@gmail.com.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo