top of page
  • Foto do escritorAGCom

MULHERES AMAPAENSE VÃO AO PÓDIO

Atualizado: 19 de mar. de 2023

Exemplos femininos que mesmo com todas as dificuldades buscam glórias por meio do esporte.


Por Felipe Aleixo


Wanna em competição. Atleta com medalha de ouro no WPA Grand Prix Marrakech 2023. Fonte: Wanna Brito / Arquivo pessoal



Em 08 de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher, por esse motivo, a figura feminina fica bastante em foco e vemos histórias de atletas que conseguiram ter sucesso por seus próprios méritos. No cenário esportivo amapaense temos exemplos de mulheres que enriquecem essas histórias de luta e servem de exemplo para o público feminino.


No início de março foi realizado em Marrocos o WPA Grand Prix Marrakech 2023, um qualificatório paralímpico, que contou com a presença da atleta amapaense Wanna Brito, de 26 anos. No Marrocos, a amapaense conquistou duas medalhas, ouro no arremesso de peso e prata no lançamento de Club. Com essas conquistas, ela irá representar o Brasil no mundial de paratletismo de 2023 e nas Paraolimpíadas de 2024, em Paris.


Wanna nasceu com paralisia cerebral, mas não se deixou abalar. Ex-modelo e formada em Fisioterapia pela Universidade Federal do Amapá (Unifap), é dona de dois recordes americanos, e se encontra no topo da sua categoria. Em janeiro deste ano, Wanna foi uma das agraciadas no Prêmio Melhores do Esporte, que premiou atletas de destaque do Amapá, O evento foi realizado com a colaboração da Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer.

Letunia e Jarlly Garcia no estúdio onde trabalham. Fonte: Acervo pessoal.

Outros exemplos que temos de atletas femininas são as empresárias Letunia e Jarlly. Elas vivem juntas há mais de quatro anos e são donas de um estúdio. Letunia é formada em Gestão de Empresas e cuida da parte administrativa. Enquanto Jarlly é formada em Educação Física e responsável pelos treinamentos durante as aulas. Ela também foi atleta de boxe, fisiculturismo e corredora.

Nas suas aulas, grande parte do público são mulheres que realizam atividades físicas, desde dança a musculação. Elas se revezam no comando das atividades e ressaltam a importância da saúde mental. Ouça ao lado o que Letunia fala sobre o trabalho que ela desenvolve.


Elas apontam as dificuldades para ter mais atletas femininas, pois muitas mulheres abrem mão dos sonhos para cuidar da casa e da família. Outra realidade é a falta de investimento financeiro por parte do estado, muitas vezes tendo que recorrer a ajuda de empresários. "Fui atleta muitos anos de handebol, as passagens eram muito difícil de conseguir, a estadia, as instalações eram precárias, mas a gente conseguia por amor”, diz Letunia.

Bruno Igreja, coordenador da COMEL. Foto: Acervo Pessoal.

O coordenador da Coordenadoria Municipal de Esporte e Lazer (COMEL), Bruno Igreja, informa que está trabalhando em conjunto com as federações na realização dos eventos esportivos do desporto feminino, ajudando principalmente com passagens aéreas. As principais demandas da COMEL são a respeito do público feminino. O coordenador reforça que estão buscando recursos para custear equipamentos e estrutura para ajudar equipes e atletas individuais nas suas atividades.


“Na realização dos eventos a gente sempre prioriza que as organizações, as associações, façam os dois naipes, o masculino e o feminino, para não acontecer eventos só com público masculino”, diz Bruno. Ele informou que em certos casos não é possível realizar os eventos com a participação feminina, pois não tem praticantes. É o caso do campeonato de futevôlei.


No dia 12 de março a COMEL promoveu um café da manhã na realização do evento do Pedal das Manas. O evento foi alusivo ao Dia Internacional da Mulher e teve início em frente à Igreja Nossa Senhora de Fátima, com destino a fazenda Berma, na Duca Serra. Uma das organizadoras do evento é Margarete Sousa, que participa do pedal há mais de cinco anos.


A ciclista destaca a importância do evento que tem como finalidade incentivar as mulheres a participar de práticas físicas. "Embora seja um esporte individualizado, existe um companheirismo, é individual para mim enquanto pedalo, mas é importante porque existe esse agregar entre as pessoas, ninguém fica sozinha, ninguém fica para trás", afirma Margarete Sousa.


Para o futuro do esporte feminino, estamos bem encaminhados e representados, as atletas Wyctoria Rodrigues e Evelyn do Vale, ambas atletas de Taekwondo, venceram em suas categorias o Grand Slam do Rio de Janeiro, que ocorreu no mês de janeiro. Por isso, elas foram convocadas para fazerem parte da Seleção Brasileira de Taekwondo. As atletas irão representar o Brasil no Mundial Escolar, que ocorrerá no México, e no Pan Americano Juvenil que será realizado de 24 a 26 de abril na cidade de Santo Domingo, na República Dominicana.



0 comentário

Opmerkingen

Opmerkingen zijn niet geladen
Het lijkt erop dat er een technisch probleem is opgetreden. Probeer nogmaals verbinding te maken of de pagina te vernieuwen.
bottom of page