top of page
  • Foto do escritorGabriela Vasconcelos

Yanna MC e a representatividade feminina no Rap amapaense

Atualizado: 12 de mai.

Ao longo da carreira, a rapper já levou o nome do Estado do Amapá para outras regiões do Brasil.

Por Gabriela Vasconcelos

Além de cantora, Yanna MC é compositora, dançarina e pedagoga. Fonte: Reprodução / @myralab.photoart

O cenário da cultura Hip-Hop no Amapá sempre teve sua representatividade muitas vezes masculina. Hoje, depois de muita luta para ocupar esses espaços, temos a presença das figuras femininas atuando firmemente nessa vertente cultural. Uma das artistas de destaque no cenário local é Yanael Nascimento da Silva, mais conhecida como Yanna MC. Cantora, compositora, dançarina e pedagoga, ela teve contato com a música muito jovem, aos 12 anos, e seu primeiro contato com a cultura Hip-Hop foi por meio da dança, quando participou do projeto de danças urbanas no Instituto Kadosh.

Desde muito cedo, Yanna MC já ouvia grandes nomes do rap nacional, que se tornaram referência para ela. “Desde meus 12 anos eu já escutava Sabotagem, Racionais MC’s, Realidade Cruel, Atitude Feminina. Eu conheci o rap assim e me identifiquei porque eram músicas de luta, de protesto, da periferia e eu como mulher preta queria ter voz na periferia, queria lutar pelos meus direitos. Eu vi o rap como essa forma”, conta. Dentro das suas inspirações femininas está a cantora de rap Cintia Savoli, uma artista que assim como ela é pedagoga e traz em suas músicas mensagem de protesto.

Yanna MC apresenta em suas letras críticas sociais, fala do racismo, do machismo, emancipação e empoderamento feminino. Seu primeiro show em Macapá foi em 2017, quando cantou as músicas Dose de Igualdade e Faces da Madrugada. Essa apresentação foi o início para outros eventos musicais e para inserção no próprio cenário musical do rap no Amapá.

O primeiro trabalho de Yanna MC foi lançado em 2018, no YouTube, por meio de uma parceria com a Cypher amapaense chamada Família Lado a Lado, que contava com vários outros rappers do Amapá. O primeiro lançamento individual veio no ano seguinte com o EP “Dose de Igualdade”.

Participação da MC no Festival Psica, em Belém. Fonte: Acervo pessoal / @vvictorpeixephoto

Desde então, Yanna MC não parou mais na produção musical e já levou o nome do Estado do Amapá para outras regiões do Brasil. Em 2021, a cantora se apresentou na comunidade da Rocinha, no Rio de Janeiro. No Estado do Pará, em Belém, a artista já participou do Festival Psica , evento que reúne grandes nomes da música nacional. Ao longo de sua carreira, a cantora também já fez parcerias com artistas do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro.

Diante da falta de investimentos e incentivo à cultura local, Yanna MC aproveita o canal no YouTube para divulgar suas produções. Atualmente, o videoclipe com maior visualização foi Bandida do Asfalto, que conta com participação das MC’s Amada Braba e Agatha Sou. O clipe chegou a mais de 7 mil visualizações na plataforma. No Spotify, ela chega a ter mais de 400 ouvintes mensais. O último single da cantora é Corda Bamba, que está disponível em todas as plataformas digitais.


 

Papel social do Hip-Hop

Sabendo da importância de desmaginalizar a cultura do Hip-Hop, a cantora desenvolve um projeto social em Macapá que visa levar a cultura Hip-Hop para as escolas da cidade. O Projeto Urban Movement leva oficinas, palestras e elementos da cultura para as escolas, como o breakdance e a discotec


agem.


O projeto nasceu em 2017 com a ideia de produzir um evento para valorização dos artistas locais e que reunisse os quatro pilares do Hip-Hop: o rap, o dJing, breakdance e o graffiti.





Na passagem do projeto nas escolas, os alunos e alunas conhecem um pouco da cultura urbana e têm contato com artistas amapaenses, como: Gabriela Campis, Moka, Kash Alves, MC Super Shock, entre outros. Nessa estrada de valorização do artista, o Projeto Urban Moviment também deu suporte para outros artistas de rua.

“Alguns dançarinos de periferia não tinha espaço pra treinar, o Urban colocou um ofício no Céu das Artes para conseguir um espaço para que os dançarinos pudessem treinar também. Além disso, o projeto fomenta a arte entre as novas gerações e faz a inserção dessas crianças no meio artístico”, finaliza Yanna MC.


Conheça mais do trabalho da rapper Yanna MC aqui.


*Reportagem produzida na disciplina de Webjornalismo ministrada pelo professor Alan Milhomem



2 comentários

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page