• AGCom

Setembro Amarelo debateu o suicídio até os últimos dias

Secretaria Extraordinária da Juventude promoveu encontro entre os bolsistas do programa Amapá Jovem para discutir sobre o mês voltado a temática do suicídio




Por Maian Maciel


O mês de setembro é voltado à temática de um assunto ainda pouco abordado abertamente na sociedade: a prática do suicídio. Pessoas que sofrem de problemas mentais graves podem - se não tratadas - tirar a própria vida. Ainda sofrem críticas e questionamentos da sociedade por tal ato, sem haver compreensão sobre a saúde mental do ser. Sendo assim, a depressão, a ansiedade ou outros distúrbios psicológicos podem levar ao suicídio e por serem inimigos invisíveis não recebem o devido reconhecimento das suas gravidades.


Essa problemática pode acometer todas as idades. Mas, o ato vem sendo realizado em grande frequência pela população mais jovem, tornando assim uma das parcelas mais vulneráveis à prática do suicídio, no mesmo patamar que a população idosa. Diante disso, o suicídio vem sendo uma das principais causas de mortes dessa faixa etária da população. Segundo o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, no Brasil, entre 2011 e 2018 houve um aumento de 10% dos casos entre adolescentes e jovens de 10 a 19 anos.


https://hospitalsantamonica.com.br/o-aumento-alarmante-no-indice-de-suicidio-entre-jovens/)


A psicóloga, Najara Pereira, em seu canal no Youtube, debate questões importantes sobre a abordagem que esse problema deve ter, reforçando o pensamento que o suicídio não deve ser olhado apenas como um simples acolhimento ou cuidado ou atenção, mas sim com tratamento e métodos que o indivíduo necessita. A busca por profissionais especializados é uma das primeiras decisões que precisam ser tomadas para iniciar o tratamento medicamentoso e mudança de comportamento para manter-se saudável. Esta medida, algumas vezes, precisa da motivação e iniciativa das pessoas mais próximas.


Sendo assim, diante da necessidade de ressaltar a ideia de valorização da vida, a Secretaria Extraordinária da Juventude (SEJUV), programa do governo que busca promover políticas públicas para a juventude, realizou um evento totalmente voltado ao Setembro Amarelo. O debate contou com a participação de profissionais especializados na saúde mental; apresentações artísticas que envolvem a temática do suicídio e dinâmicas motivacionais sobre a importância de manter a mente sadia.


O Secretário Extraordinário da Juventude, Pedro Filé, ressaltou a importância do evento promovido para a juventude. Ele reforça dizendo que, devido ao suicídio ser uma das principais causas de mortes entre os jovens, o diálogo é extremamente necessário não somente no mês de setembro, mas sim durante o ano todo. “Não é frescura; não é falta de Deus e não é tempo livre, depressão é uma doença que pode levar a pessoa a tirar a própria vida e é trabalho da SEJUV trabalhar com políticas públicas de prevenção ao suicídio e valorização à vida”.


Para a bolsista do Amapá Jovem, Alana Pinheiro, 19, vale a pena ter mais eventos como estes, pois são assuntos que devem ser comentados e mostram que a juventude não está sozinha e que todo problema pode haver uma solução. “É importante para prevenir e conscientizar”, completa.


Pedro Filé reforça a importância da juventude no engajamento da causa. Sendo assim, ele ressalta que de muitas formas os jovens precisam ser ouvidos. A juventude pode ajudar sendo multiplicadora da temática, dialogando com outros jovens, dialogando principalmente com aqueles que estão com depressão, compartilhando informações sobre a campanha que a secretaria vem promovendo. O secretário diz ainda que os bolsistas estão promovendo atividades que auxiliam no diálogo da juventude, criado peças teatrais, músicas e danças.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo