• AGCom

AGCOM FAZ RETROSPECTIVA DO NAUFRÁGIO DO NAVIO ANNA KAROLINE III

Após dez dias de buscas, nove pessoas ainda continuam desaparecidas.



Mergulhadores do Amapá, Amazonas e Pará se mobilizaram na busca por desaparecidos. Foto: Prefeitura de Almeirim

Por Luiz Felype


Completando 10 dias de buscas por desaparecidos, nesta segunda-feira (09), equipes de resgate voltaram à Reserva Extrativista do Rio Cajari, no município de Laranjal do Jari, após o naufrágio do navio Anna Karoline III, que saiu do Porto de Santana na última sexta-feira (28/2) e naufragou no sábado (29/2). As causas do acidente estão sendo investigadas. No entanto, surgiram várias hipóteses. Testemunhas que estavam no navio descreveram que havia chuva e ventania forte, excesso de carga e venda clandestina de combustível também foram cogitadas.


Um homem foi preso no município de Gurupá, no interior do Pará, acusado de atracar a embarcação denominada “Albatroz” ao navio Anna Karoline, passando combustível de maneira irregular, segundo testemunhas ouvidas pelo Grupamento Fluvial (GFLu).


O navio tinha como destino a cidade de Santarém, no interior do Pará. 51 pessoas sobreviveram, 33 morreram e, destes, 21 corpos foram identificados. Mais três corpos foram retirados da água, na sexta-feira. Ainda há pessoas desaparecidas.


Um dos passageiros da embarcação gravou e divulgou um vídeo que registrou o transporte de 110 toneladas de açúcar. O vídeo está disponível no canal da Agência de Comunicação de Jornalismo no YouTube https://www.youtube.com/watch?v=WJuW1YWxZcw. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar o caso e todas as testemunhas serão ouvidas. O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público Estadual também investigam o ocorrido.


Desde o dia do acidente, as buscas por sobreviventes e desaparecidos se intensificaram. 22 mergulhadores do Corpo de Bombeiros do Amapá, Pará e Amazonas participaram da operação em busca por desaparecidos. Embarcações da Marinha, Corpo de Bombeiros e quatro aeronaves estavam ajudando, duas do Governo do Amapá e duas do Governo do Pará.


O Governo do Estado do Amapá criou o Centro de Apoio e Acolhimento montado no quartel do Corpo de Bombeiros de Santana, localizado na Avenida Santana, número 1795. Parentes das vítimas desaparecidas e sobreviventes podem buscar informações sobre as vítimas. Assistentes sociais, psicólogos e enfermeiros atendem os familiares.


O navio Anna Karoline III tinha capacidade para transportar 242 pessoas. No dia do acidente, 87 pessoas estavam a bordo. O navio naufragou próximo à Resex do Rio Cajari, numa área de difícil acesso e comunicação. O corpo de bombeiros recebeu o chamado de emergência às 5h da manhã, no sábado (29). Equipes de resgate chegaram ao local às 14h, 10 horas após a ocorrência.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo