top of page
  • Foto do escritorAGCom

Saiba quais cuidados tomar durante o inverno para manter o bem-estar dos pets

Animais domésticos correm riscos pela exposição ao frio e chuva.


Por Larissa Dias


Ter um pet é ter amor, responsabilidade e cuidado. Foto: Ediane França.


Durante o inverno amazônico, as chuvas e o frio são comuns no dia a dia. Esse clima, muitas vezes, deixa as pessoas mais vulneráveis e suscetíveis a contrair resfriados e gera desconfortos. Com os animais domésticos, em especial cães e gatos, não é diferente. O inverno também os afeta, acarretando em enfermidades que prejudicam o bem-estar e a saúde deles. Entretanto, há várias maneiras de proteger os pets e assim prevenir possíveis doenças que eles podem contrair nesse período.


“Cães e gatos que ficam expostos a chuva, com o pelo molhado por muito tempo podem desenvolver algumas dermatites, podem ter uma baixa brusca na temperatura corporal, hipotermia e, em situações severas, ter um quadro de pneumonia, então tem que ter esse cuidado”, explica a médica veterinária, Luciane Menegolo. Desse modo, é possível perceber a importância de adotar hábitos e precaver a qualidade de vida dos pets.


Mesmo que algumas raças de cachorros e gatos sejam mais tolerantes a temperaturas baixas, especialmente os maiores e mais peludos, deve-se ficar atento aos sinais que esses animais mostram quando o frio começa a ser um incômodo. Tremores, postura encolhida, sono excessivo e se acomodar em locais mais quentes da casa são um conjunto de sinais que podem indicar o desconforto com a temperatura.


Acerca dos cuidados é fundamental mantê-los bem hidratados, bem alimentados e aquecidos, protegê-los do ar frio e da chuva, seja dentro da casa ou de uma casinha própria para os animais, deixar cobertas ou colchões no chão para eles não ficarem em contato direto com o piso gelado. Ademais, é importante manter os animais sempre secos. “Às vezes, é impossível que eles não se molhem, então, quando ocorre, secamos com várias toalhas, se for habituado, pode usar secador também”, ressalta Menegolo.

Esses são apenas alguns métodos essenciais que devem ser adotados para prover bem-estar e qualidade de vida dos animais domésticos, especificamente cães e gatos, nesse tempo chuvoso e frio, característico do inverno amazônico. Saber o que fazer nesse cenário torna-se fundamental, pois esses pets não são capazes de regular sua temperatura sozinhos, sendo assim, é preciso auxiliá-los.


‘Raposita’, uma das pets de Heloise, acomodada em seu espaço. Fonte: arquivo pessoal/Heloisa Marques.


Heloise Marques, de 22 anos, acadêmica de Geografia, tem três pets, sendo uma gata e dois cachorros. Ela relata que já sabia das consequências da exposição dos animais à chuva. Ela compartilha os cuidados que adotou para protegê-los: “ajustamos as casinhas dos cachorros com vários panos e lençóis e preparamos um ‘esquentado’ com carnes e peles para alimentá-los. Já a gata nas camas e em casa”, conta.


Já a estudante de cinema, Tainá Lobato, de 20 anos, possui apenas uma cadela chamada Shuri e diz que evita deixá-la ir para o quintal de sua casa para que ela não se molhe na chuva, mas nos casos em que ela acaba se molhando, Tainá prontamente a seca com um secador. Apesar disso, a acadêmica não sabia dos riscos que os animais correm no inverno, mas vai adotar mais maneiras para cuidar da sua companheira, Shuri.


Não precisa de mudanças extremas para deixar seu pet mais confortável. Fonte: arquivo pessoal/ Tainá Lobato.


Além disso, em novembro de 2023, foi aprovado na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei 1.070 de 2022, que institui na Lei de Crimes Ambientais nº 9.605 de 1998, a obrigatoriedade dos proprietários de animais domésticos a garantir o bem-estar físico e mental dos pets, incluindo cuidados com a nutrição, higiene, saúde, acomodação e outras providências. O projeto segue em tramitação, aguardando a análise das demais comissões.

0 comentário

Comments


bottom of page