top of page
  • Foto do escritorAGCom

Primeira edição do “Graffite tem voz” deve reunir mais de 30 artistas em Macapá

Os artistas vão se reunir para dar cor a mais de 150m de muro no Conjunto Habitacional Mucajá, nesta quinta-feira (07).


Por Eloyze Monte / Jornalismo Unifap

Moises Ferreira, o Cotonete. Foto: Instagram/@cotonet1_0fl

Neste dia 07 de setembro, a partir das 15h, será realizada a 1º edição do Graffite tem voz. O evento deve contar com mais de 30 artistas para dar cor a 150m de muro no Conjunto Habitacional Mucajá.


O projeto surgiu pelo ex-morador do conjunto e também grafiteiro Moisés Ferreira, conhecido no grafite como Cotonete, com o apoio de outro grafiteiro Daniel Rodrigues, conhecido como Liber, que possui o projeto de Point na rua, que nada mais é do que um evento de grafite independente.


Cotonete é grafiteiro há 23 anos e conhece bem a realidade da cena no grafite em Macapá. “Já vi e vivi muitas experiências, mas de uns três anos pra cá, eu vi o crescimento do grafite no estado e isso me motivou a estar perto dessa geração e incentivar eles cada vez mais nesse mundo, incentivando a ter um foco e se esquivar desse mundo do crime”, conta.


O projeto tem como objetivo mostrar a arte urbana produzida por jovens e adolescentes para a comunidade em geral. Realizado de forma independente, o evento inicialmente contava somente com a ajuda financeira dos amigos, mas no decorrer das divulgações foram surgindo apoiadores, como: Serigrafia Sete Dois Company, Oca Produções, BaluArte Cultural e Creative Metalúrgica.


Mesmo com as parcerias, Cotonete e Liber ressaltam que os materiais adquiridos são poucos e pedem aos participantes que levem seus materiais para ajudar na ação. Conforme os organizadores, o evento também é um momento de tentar chamar atenção dos órgãos governamentais para futuras parcerias, visando trazer mais jovens para o mundo da arte e tirar das ruas, transformando sonhos em realidade.

Muro de 150m no Conjunto Habitacional Mucajá que receberá as artes. Foto: Eloyze Monte / Jornalismo Unifap.

Mas afinal, qual a diferença entre grafite e pichação?


O grafite é uma arte urbana surgida nos Estados Unidos que consiste em manifestações sociais através de pinturas e desenhos em muros e paredes nas ruas. Vale ressaltar que o grafite não é somente pintura, existe uma forma de expressar críticas sociais por meio das artes elaboradas.

Já a pichação tem como objetivo gerar desconforto ao ser vista, é feita em muros e edifícios particulares e acaba sendo vista como um ato criminoso.Atualmente, a cena do grafite vem ganhando força em Macapá, colorindo muros e espaços na cidade. Para Cotonete, o grafite é isso, uma mudança de vida proporcionada pela arte.


0 comentário
bottom of page