• Martha Sophia

Exposição fotográfica: Os sentimentos durante a pandemia

Atualizado: 29 de jul. de 2021

SENTIMENTO: SOLIDÃO

O trabalho foi feito para disciplina de introdução à fotografia, os alunos tiveram oficinas com conceitos e técnicas básicas sobre manusear uma câmera. Com o período da pandemia, tivemos recursos limitados como aulas a distância e o ensino nas oficinas foi para o celular. Os alunos foram divididos em grupos de 10 e cada dia tinha oficina e atividades.

Depois de tudo o que foi ensinado em aula e oficina, os alunos tiveram a tarefa com o tema “Sentimento” e eles tinham que retratar em fotos seus sentimentos (seja felicidade, solidão, amor) em fotos, esse sentimento era relacionado com o isolamento sobre a pandemia da covid-19, era uma forma de trabalhar tudo o que foi aprendido em sala durante o semestre. Além das fotos os alunos fizeram um texto sobre o sentimento que as fotos representam para eles.


Aluízio Neto: fotografia P&B, com um ótimo contraste. A blusa escura, de manga longa, chama a atenção e se destaca na foto. Um autorretrato delicado, íntimo.


Ana Beatriz Peres: a imagem nos passa um sentimento de aprisionamento. A mão tocando as redes de proteção enquanto a grande cidade está de fundo, mostra a distância e barreiras.


Ângela Gabriela: Fotografia P&B, utilizando luz e sombra, uma iluminação dura e dramática que chama a atenção, mãos vazias e atadas.


Augusto Souzza: Autorretrato performático, indicando angústia e tristeza, a edição conta com uma forte camada de cor vermelho, tomando conta de toda fotografia.


Cintia Leão: fotografia com dualidade e que gera interpretações diferentes, não se pode dizer com precisão se é um céu estrelado ou alguma pintura, imagem, mancha. Na minha visão é um céu estrelado, o grande escuro do céu com inúmeras estrelas em volta.


Danielle Coelho: foto em P&B, para transmitir desesperança e isolamento, uma janela aberta sem nada de especial no lado de fora, criando um ambiente depressivo e solitário.


Elcio Barbosa: Fotografia de Paisagem, para o autor da imagem significa tristeza, para mim significa atraso. Rua vazia, em obra.


Eloani Gemake: Fotografia intitulada “abalado”, pela autora, a imagem com tons mais escuros nos remete em pensar na doença. Nesses momentos, muitas vezes, nos sentimos sozinhos e fracos.


Felipe Aleixo: ótima composição, o alinhamento está fora de ordem, talvez tenha sido proposital do autor. O P&B tira todas as cores que seriam essenciais nessa foto, o azul do céu por exemplo. Retirar a cor deixa as fotografias mais melancólicas.


Fernando Carneiro Pereira: Chama atenção pela composição, enquadramento perfeito do objeto fotografado. Os balanços solitários, com sombras duras no chão, muito interessante.


Fernando Tavares: Foto intitulada saudade, parece que carrega uma memória sentimental do autor, algo que lhe entristeceu.


Flávia Coimbra: uma fotografia cinzenta, sem muitas cores quentes, talvez de algum momento vago e sem companhia, indicando a sensação de estar só.


Flávio: fotografia de paisagem, a arquitetura singela da casa chama atenção, a edição da imagem, puxando os tons para o sépia traz uma sensação de antigo.


Gabriela Vasconcelos: Muito criativo a edição, deixar colorido apenas o senhor que vende picolés, destacando-o bem no canto da imagem. Ótima composição.


Giovane Brito: uma iluminação e ambiente interessante, o objeto ganha muito destaque e tem um charme delicado.


Giovanna Moramy Lins: Fotografia simples, que me causa um pouco de desconforto ao olhar, mas não de forma negativa. A intenção do trabalho é transmitir sentimentos e essa foto, de um banco vazio, me fez sentir isso.


Iana clara Amoras: Um retrato muito bonito, iluminação suave e única. Gostei bastante da simplicidade e da delicadeza, principalmente de como a modelo transmite melancolia com seu olhar cabisbaixo.


Ilana Moraes: Ótimo ponto de vista, a composição desde a grama até a elevação do céu ficou bonita. Por ser de noite, a fotografia me faz imaginar sons de insetos para preencher o silêncio do local.


Isadora Carneiro Pereira: Uma foto que fala por si só. A situação que a fotografia exibe já causa bastante desconforto, o preto e branco só aumentou a dramaticidade.


Laura Medeiros: composição muito bonita, conseguiu transformar objetos do dia a dia em algo simbólico, a foto tem muito detalhe, uma edição parecida com HDR, que combinou bastante.


Maria Luiza Soares: Uma única vela acessa no meio do escuro, gosto bastante das cores amareladas. A imagem transmite um momento de isolamento, sem nenhum contato, apenas de si mesmo.


Sarah Lopes: A vinheta destaca a forma de uma janela, os pingos de chuva me fazem lembrar de lágrimas. Transmite tristeza, passageira.

0 comentário