top of page
  • Foto do escritorAGCom

Ensino superior: estudantes têm rotinas variadas para alcançar uma vaga

Dobrar os horários de estudos é uma das estratégias utilizadas pelos vestibulandos para ajudar a garantir um bom desempenho.

Por Mariana Braga

Edição: Anna Clara Trindade

Aulão no cursinho gratuito. Fonte: Ascom Ifap.

Para muitos estudantes, ingressar na universidade é a realização de um sonho, pois representa uma nova etapa na vida acadêmica. O ensino superior apresenta-se como uma oportunidade a mais para quem almeja entrar no mercado de trabalho, com a finalidade de proporcionar uma formação específica do setor profissional que deseja atuar.


Atualmente, existem várias maneiras de conseguir ingressar no ensino superior: a principal delas é o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que é integrado ao Sistema de Seleção Unificado (Sisu), ao Programa Universidade para Todos (Prouni) e ao Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). Além disso, ainda existe a possibilidade de entrar por meio dos vestibulares e processos seletivos locais e de instituições particulares.


Como alcançar esse sonho?

Muitos estudantes criam estratégias para estudar os conteúdos exigidos em vestibulares. Esse planejamento envolve período de férias e descanso, pois alguns ainda têm que conciliar com sua rotina de estudos obrigatória, que é a do ensino médio ou cursos extras.


Os cursinhos preparatórios são o meio mais popular para quem quer obter uma boa pontuação nas provas, no entanto, essa é uma opção um tanto restritiva, pois nem todo estudante consegue pagar a mensalidade cobrada.


Pensando nisso, o professor de Sociologia Geovane Tavares ajudou a pôr em prática uma iniciativa que está em vigor há mais de oito anos: um cursinho preparatório gratuito, o qual atende ao público do ensino médio e a comunidade em geral. “Como é um projeto de extensão, acaba sendo uma rede de apoio não só para o nosso campus, mas para a comunidade do município de Santana”, relata o atual coordenador do cursinho.


O projeto de extensão é desenvolvido no Campus Santana do Instituto Federal do Amapá (Ifap) e conta com a colaboração de professores voluntários, tanto do Instituto quanto de professores externos. O objetivo é auxiliar os alunos que querem revisar os conteúdos do Enem.

Estudantes preparação ensino superior
Alunos do IFAP durante aulão. Fonte: Ascom IFAP.

E os vestibulandos?

Caio Almeida é recém-formado no curso técnico de Comércio Exterior. O estudante conta que participou do cursinho e que a rede de apoio criada pelos professores foi importante para ter bons resultados.


“Me preparava desde agosto. Os professores incentivaram fortemente, não somente nas aulas do cursinho, mas como nas aulas normais. Foi muito importante, porque fazer Enem, valendo mesmo, requer um autocontrole devido à pressão de tirar uma boa nota, fazer uma boa redação, alegrar os pais e conseguir uma nota boa o suficiente pra faculdade ‘dos sonhos’. Eles aliviaram nosso fardo nesse sentido”, reitera.


Já para Vanessa Malheiros, que também participava das aulas oferecidas pelo cursinho, esse processo não foi tão simples, pois teve que se dedicar mais ainda aos estudos. “Às vezes era cansativo; precisei abrir mão de outros estudos para me concentrar nos estudos do Enem. Ter orientação especializada sobre como os assuntos aparecem é muito importante, pois muitas vezes o que vemos em sala é diferente da forma como é cobrado", relata.


Agora os professores e os alunos comemoram as boas notas e aguardam ansiosos pelos resultados dos processos seletivos que permitirão o ingresso à universidade, como conta o coordenador Geovane Tavares. Ouça:


Há ainda os estudantes que optam por realizar sua preparação por meio das plataformas digitais, por múltiplas questões: alguns têm o tempo reduzido; outros conseguem estudar melhor sozinhos; outros, pela gratuidade de conteúdos, ou seja, cada estudante prepara-se da forma mais adequada à sua rotina e condição.


Estudante em apresentação
Felipe Araújo em apresentação científica. Fonte: Arquivo Pessoal.

Felipe Araújo concluiu o ensino médio recentemente e agora pretende ingressar nos cursos de Medicina ou Direito. Ele se preparava para o ingresso à universidade desde o primeiro ano do ensino médio.


Entretanto, no seu último ano teve que modificar sua forma de estudar, visto que também estava atuando na parte de pesquisa, momento em que passou a exigir mais dedicação e tempo. Diante disso, o vestibulando viu nas plataformas digitais uma boa oportunidade para conseguir administrar melhor o seu tempo e os estudos.


O estudante acrescenta que estudava no ensino integral, se dedicava nos períodos noturnos para cumprir seu cronograma e, apesar das dificuldades, Felipe espera um bom resultado para ter a aprovação. Ouça:


E você que também sonha em conquistar uma vaga na universidade, se liga no cronograma de inscrições que estão abertas nas instituições de ensino superior do Amapá:


Processo Seletivo 2024 - UEAP

Inscrições: 10 de novembro de 2023 a 17 de fevereiro de 2024. Informações completas aqui.


Processo Seletivo 2024 - Unifap

Inscrições: 25 de janeiro a 17 de fevereiro de 2024. Se inscreva aqui.


Preparamos um vídeo pra te ajudar a se inscrever no PS da Unifap:


*Reportagem produzida na disciplina de Webjornalismo ministrada pelo professor Alan Milhomem.

0 comentário

댓글


bottom of page