• Lorena Lima

Embaixadora do Lixo Zero-Ap defende em tribuna educação ambiental e conscientização sobre reciclagem

Sessão na Câmara Municipal de Macapá debate a problemática da insalubridade em aterros sanitários e necessidade de coleta de lixo para reciclagem


Na manhã desta terça-feira (26), a gestora de resíduos sólidos, acadêmica de Ciências Sociais e empreendedora sustentável Marília de Nazaré Corte Nery solicitou aos vereadores na Câmara Municipal audiência pública para tratar dos problemas relacionados ao lixo em Macapá, como a insalubridade do aterro sanitário, escoamento de lixo que causa enchentes, lixeiras viciadas e necessidade de coleta seletiva de resíduos sólidos.

Marília apresentou aos presentes os trabalhos e ações realizados pelo Movimento, a presença na tribuna faz parte da programação da Semana Lixo Zero Brasil. Durante esse período acontecem ações de consciência pública com relação aos resíduos sólidos nas 27 Unidades Federativas do país.

Sessão na Câmara Municipal de Macapá (Foto: Lorena Lima/AGCOM)

A embaixadora Marília ressalta que a política atual de Macapá sobre o gerenciamento de resíduos sólidos é através do aterro sanitário. “Todos os resíduos, recicláveis ou orgânicos, vão para o aterro sanitário e isso tem um impacto generalizado, tanto no âmbito territorial quanto dentro de casa. A população acaba não participando dessa construção, dessa cidadania ambiental, não se faz a coleta e seleção do lixo domiciliar”, lamenta Marília.


Marília falando na Tribuna (Foto: Reprodução)

“Primeiramente tem a questão ambiental que é muito importante que todos nós tenhamos consciência sobre o que está acontecendo no mundo e a importância de fazermos parte da proteção da Amazônia. E segundo porque queremos construir uma Macapá mais limpa, mais educada ambientalmente, não ver mais o lixo no chão entrando dentro do rio e causando enchentes. Por isso é muito importante que a população participe da coleta e seleção de lixo, faça sua parte como cidadão ambiental e cobre do poder público uma postura sobre isso, porque a partir do momento que a gente age dessa forma, a gente também está mostrando para o poder público o nosso interesse como sociedade”, argumenta a embaixadora.

Ecoponto Justiça federal + Movimento Lixo Zero (Foto: Arquivo Pessoal)

O acúmulo do lixo, orgânico ou seco emite gases tóxicos para a atmosfera, como o metano e o carbono, e esses gases tóxicos aumentam a sensação térmica do município e influenciam diretamente nas mudanças climáticas.

Equipe do Movimento Lixo Zero Amapá e Vereadora Janete Capiberibe (Foto: Lorena Lima/AGCOM)

A Vereadora Janete Capiberibe (PSB) afirma: “é muito importante pela sociedade civil organizada, pela comunidade além de nós os vereadores a participação direta .Não é simples, desde que foi aprovada a criação dos aterros sanitários eliminadas lixeiras públicas há uma caminhada para aperfeiçoar. Em Macapá o aterro sanitário ele tem dentro uma empresa contratada pela prefeitura para fazer a coleta, o condicionamento e tratamento desse lixo, e tem também duas organizações la, uma bem antiga do tempo em que eram os carapirás que atuavam na lixeira pública na época, não era o aterro sanitário; e outra existe uma série de problemas que a prefeitura precisa ter o controle, acompanhando a ação da empresa que atua lá”, comenta a vereadora.

Ecoponto na Casa do artesão (Foto: Arquivo Pessoal)

Em Macapá o movimento Lixo Zero Amapá vai continuar realizando ações de conscientização até o dia 31, partindo de práticas sustentáveis. Nicole Santos, Coletora de Resíduos Recicláveis Educadora Socioambiental comenta um pouco da programação: “a gente vai ter inaugurações de ecopontos também aqui em Macapá, pontos de entrega voluntária (PEV). Um deles vai ser lá no Yázigi e lá a população próxima os vizinhos e os moradores ao redor vão poder deixar seus resíduos recicláveis. No SEBRAE também vai ter um ponto de entrega de garrafas pets, eles entregam para uma família que produz”, revela.

Para a voluntária Nicole, ter a oportunidade de estar discorrendo de um assunto tão sério dentro de uma plenária faz com que o movimento precise ganhar uma visibilidade também dentro de um ambiente legislativo. “A gente vem tentando articular no meio social o movimento lixo zero como um conceito, que a gente possa tá repensando hábitos e repensando consumos para que a gente atinja um momento oportuno para o movimento continuar crescendo”, explica.


Na quarta-feira (27), Lixo Zero Ap e Sebrae realizarão Palestras sobre sustentabilidade e Oficina de Compostagem das 15h às 19h. As inscrições podem ser realizadas através do link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdQTZvFIh_uoEMYQb83EVTLyQ9Mary9a4N3H3tUKDvpsJZkCg/viewform?usp=sf_link


Programação:


PALESTRA 1 – 15 as 16h

Sustentabilidade em ambiente corporativo – Lucas Torres

PALESTRA 2 – 16 as 17h

Reciclagem de bitucas de cigarro – Marcos Robles Poiato

Empreendedor socioambiental

Idealizador e sócio proprietário da Poiato Recicla

PALESTRA 3 – 17 as 18h

Gestão de resíduos sólidos no Município de Macapá – Adrian de Morais Castelo

PALESTRA 4 – 18 as 19h

Oficina de gerenciamento de resíduos e compostagem de resíduo orgânico


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo