• Flávio de Sousa

Educação na Amazônia é tema de evento científico realizado na UNIFAP

Durante o encontro, pesquisadora do Tocantins apresentou projeto voltado aos idosos da região amazônica


Foto: Flávio Sousa|AGCOM


A Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped) e o Fórum de Coordenadores de Programa de Pós-Graduação em Educação da Região Norte (Forpred) realizaram a 4ª Reunião Científica Regional Norte com o tema “Educação na Amazônia com Justiça Social e Garantia do Direito à Educação”.


O evento aconteceu no Departamento de Letras e Artes (Depla), da Universidade Federal do Amapá, e contou com palestras, apresentações de trabalhos e uma roda de conversa intitulada Educação intercultural e bem viver na Amazônia: Diálogo de saberes na diversidade cultural”, apresentada pelos expositores Doriedson Rodrigues, Neila Osório e Sérgio Roberto Correa.


Foto: Flávio Sousa|AGCOM


O destaque do evento foi para o projeto de extensão “Universidade da maturidade", apresentado pela Prof. Dra. Neila Osório, da Universidade Federal do Tocantins. O projeto busca alternativas para amparar os idosos, apontando elementos que possam reduzir as desigualdades sociais e inseri-los nas universidades, respeitando o direito à educação e ao mercado de trabalho.


A iniciativa surgiu durante pesquisa da professora Nélia, que estuda o crescimento do envelhecimento populacional no Brasil, principalmente na região Norte, e aborda ações e políticas públicas voltadas ao público idoso.


Foto: Flávio Sousa|AGCOM


“É uma proposta pedagógica para melhor qualidade de vida da pessoa adulta e dos idosos, visando a integração dos mesmos com os alunos de graduação e identificando o papel e a responsabilidade da Universidade em relação a esse público”, explica a pesquisadora.


Nélia aborda a questão da Intergeracionalidade, ou seja, como a sociedade precisa da contribuição dos idosos no âmbito da experiência e do conhecimento. “Os jovens precisam dos velhos e vice-versa. A experiência dos mais velhos é fundamental na contribuição do conhecimento”, finaliza.


Foto: Fapto


No Tocantins, o projeto “Universidade da Maturidade” beneficia os idosos das comunidades indígenas. A proposta é incentivar os alunos indígenas da Universidade Federal de Tocantins, que estão no mestrado e doutorado, a darem aula em escolas localizadas nas aldeias, garantindo assim, o acesso à educação dos povos originários.


Foto: (Zacarias Martins)



0 comentário

Posts recentes

Ver tudo