top of page
  • Foto do escritorAGCom

Copa Inter Atléticas de Basquete do Amapá reuniu mais de 150 atletas

Os jogos iniciaram no dia 22 de janeiro e se encerraram no dia 02 de fevereiro.


Por Caio Vinicius

Edição: Marcelo Beijamim

Basquete na Unifap
Jogo entre as atléticas Galvânica e Beca. Foto: Caio Vinicius.

A 1ª Copa Inter Atléticas de Basquete é um torneio organizado pelo time oficial de basquete feminino da Universidade Federal do Amapá (Unifap), com apoio do Projeto Treina I Joga que é vinculado ao Programa de Formação, Capacitação, Aperfeiçoamento e Idiomas (Profid). A competição contou com a participação de 17 atléticas divididas em qatro grupos, reunindo mais de 150 atletas. A competição iniciou no dia 22 de janeiro e seguiu até o dia 2 de fevereiro.


Os jogos aconteceram na fase de grupos, sendo 12 equipes no naipemasculino e 5 equipes no naipe feminino, composta de 5 a 12 atletas regularmente vinculados ao curso pertencente a atlética de graduação ou pós-graduação. Os times classificados na fase de grupo, disputam a fase eliminatória e, posteriormente, a final, disputada em jogo único. Para o 1°, 2° e 3° colocado, além da premiação com troféus e medalhas, os vencedores receberam uma quantia em dinheiro.


O objetivo do campeonato é fomentar a prática esportiva da modalidade dentro do âmbito universitário, dar mais visibilidade às competições de basquete e o intercâmbio esportivo entre os estudantes, além de recrutamentos de novos atletas para as equipes universitárias na temporada de 2024.


Para a idealizadora e coordenadora da Copa Inter Atlética de Basquete, Grazielly Marques, o número de atletas participantes foi uma surpresa. “Está tendo bom resultado, teve até mais times do que a gente esperava. A gente não contava com tantos participando assim. Foi uma surpresa para a gente porque podemos perceber que as pessoas querem participar. Por ser um campeonato amador, eles vêm procurar para se divertir, e não fica só na universidade”, comenta Grazielli.


“A gente quer se divertir, nós sabemos que os intercursos não é uma competição tão importante assim, mas é uma diversão a mais para a universidade comentar o esporte e tudo mais, então a nossa principal motivação é se divertir, independente de ganhar ou perder, a gente veio pra fazer o nosso melhor e se divertir”, completa o jogador da Dionisíaca, Vinivius Cantidio.


Essa competição serve também como forma de treinamento das atléticas antes do principal campeonato universitário, os Jogos Inter Atléticas do Amapá (Joia). “Na universidade, a gente tem o Joia, não fica atrelado a ele, tendo que esperar até determinado tempo para esperar o Joia. Eles podem praticar antes, treinar antes, fazer amistosos antes e o intuito também agrega a isso, fomentar e treinar antes do Joia, que é o campeonato principal dentro da universidade”, destaca Grazielly Marques.


Jogo entre as atléticas Bravus e Redacta. Foto: Caio Vinicios.

O atleta da Dionisíaca Vinicius Cantídio comenta sobre a competição. “O campeonato está com um nível bastante elevado em relação ao último que teve, mas eu acredito que a nossa equipe está vindo forte, com atletas experientes, que sabem o que fazer dentro de quadra”, afirma.


A final da 1ª Inter Atléticas de Basquete ocorreu nessa sexta-feira (02), no ginásio poliesportivo da Universidade Federal do Amapá, Campus Marco Zero. Redacta e Bravus no feminino e Urucuba e Galvânica no masculino disputam a grande final. Bravus e Galvânica se sagraram campeãs.


Melhores Partidas

Desde o primeiro dia de competição, vários times entraram em quadra e mostraram alto nível na competição, levando o público presente ao delírio e euforia a cada lance.

No primeiro dia de campeonato (22), a partida entre Bravus e Redacta terminou a favor da Atlética de Educação Física (Bravus) com o placar de 21 x 18. A disputa entre Galvânica e Beca terminou com a vitória da Atlética de Fisioterapia (Galvânica) com o placar de 45 x 41. O embate entre as equipes proporcionou fortes emoções até os últimos segundos da final do quarto e último período (set), com a Beca encurtando pouco a pouco a vantagem obtida pela Galvânica.


No quinto dia de competição (26), a torcida pode acompanhar três partidas eletrizantes. O primeiro embate entre Nociva e Georássica terminou a favor da atlética do curso de Farmácia (Nociva) com placar apertado de 28 x 27. O segundo confronto entre Galvânica e Cronos, a atlética de Fisioterapia (Galvânica) abriu uma ampla vantagem, com um placar de 43 x 11. A última partida da noite entre Dionisíaca e Caótica, proporcionou um bom embate, porém a atlética de Artes Visuais (Dionisíaca) acabou levando a melhor, com um placar final de 53 x 32.

Na disputa das quartas de finais masculino, os times deram tudo de si em quadra. Destaque para o jogo entre Dionisíaca e Caótica que voltaram a se enfrentar. Durante os dois primeiros períodos, o time da Dionisíaca esteve à frente no placar, chegando a abrir mais de dez pontos de vantagem sobre o adversário. No terceiro período, o time da Caótica, encorajado pela sua torcida, veio tirando a diferença no placar. O quarto e último período de jogo foi decisivo para ambas as equipes.


A atlética da Caótica não deixou de correr atrás da classificação. Em vários momentos, a liderança no placar alternava entre as equipes, levando os torcedores e quem estava assistindo ao delírio a cada ponto feito. Faltando menos de 30 segundos para o fim, após três lances livres a favor da Dionisíaca, que empatava a disputa, o camisa 30 da Caótica fez uma cesta de 3 pontos, levando seu time a vitória com um placar de 40 x 37. Veja o momento do último ponto:


PLACAR DAS SEMIFINAIS

Feminino

Redacta 31 x 17 Audaciosa

Bravus 24 x 11 Piatã


Masculino

Urucubaca 41 x 28 Caótica

Galvânica 40 x 28 Beca


PLACAR DO TERCEIRO LUGAR

Feminino

Audaciosa 8 x 21 Piatã


Masculino

Caótica 37 x 34 Beca


PLACAR DAS FINAIS

Feminino

Bravus 40 x 25 Redacta


Masculino

Galvânica 58 x 43 Urucubaca



*Reportagem produzida na disciplina de Webjornalismo ministrada pelo professor Alan Milhomem.


0 comentário

コメント


bottom of page