• Flávio de Sousa

COMO AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS AFETAM OS OCEANOS?

Águas oceânicas estão se tornando ácidas, e os níveis do mar estão aumentando, afetando nossas ilhas.


Por Flávio De Sousa e Gabriela De Matos


Foto: Unsplash


As mudanças climáticas são, sem dúvidas, um dos maiores desafios da sociedade atual e elas acontecem de maneira cada vez mais veloz. Com o passar dos anos e os descuidos com a saúde do planeta Terra, a população já enfrenta os extremos que um mundo poluído oferece. Os impactos são significativos e afetam desde a nossa saúde até a produção de alimentos.


Chuvas cada vez mais intensas, causando cheias; ondas de calor que influenciam no aumento no número de queimadas naturais, pelas regiões de floresta; e, essas consequências afetam, principalmente, a população mais pobre, que vive em áreas de risco como morros propícios ao deslizamento de terras ou na beira dos rios, que estão vulneráveis às enchentes, como as ressacas na nossa cidade.

De acordo com relatório do Painel Intergovernamental para a Mudança de Clima (IPCC), a temperatura média do planeta subiu 1,1 grau desde meados do século 19. E, nas próximas décadas, deve alcançar 1,5 grau de aquecimento. (relatório de mudanças climáticas).


Danos ao Oceano


Os oceanos estão se tornando mais ácidos à medida que absorvem CO2 (dióxido de carbono) da atmosfera, cerca de 23% do que é produzido pelos humanos. Esse processo químico de acidificação das águas está matando a vida marinha e os plânctons, que são fundamentais para a limpeza desse gás carbônico nos mares e na liberação do oxigênio na atmosfera. (Impacto nos oceanos)

A acidificação impacta na diminuição dos níveis de oxigênio no mar e no que é emitido para a Terra, afinal se um pulmão do mundo está na Floresta Amazônica, em processo de destruição, o outro pulmão está nos oceanos, em processo de degradação pela poluição de lixo nas águas e do gás carbônico no ar.

As mudanças significativas nos padrões das correntes oceânicas também estão ocorrendo. Todos esses processos afetam a saúde dos oceanos e as espécies marinhas.


O avanço do nível do mar é outra grave consequência das mudanças climáticas, principalmente para as cidades costeiras que dependem de pesca ou agricultura nessas regiões. Como já reportamos na AGCOM o caso do Arquipélago de Bailique, no litoral do Amapá. É uma área próxima do oceano atlântico, mas que fica nas águas doces da foz do rio amazonas, e a agricultura local depende do rio.


Os prejuízos da alta do nível do mar às nossas ilhas também foram publicados pelo jornal O Tempo, explicando como os avanços das marés estão ganhando força e ameaçando a economia local daqueles que dependem da comercialização do açaí. “A investida do mar sobre o rio sempre ocorreu na região, onde ganhou o nome local de maré lançante ou lanço. O problema é que vem ocorrendo com força crescente e o mais tempo. Neste ano, pela primeira vez, todas as 58 comunidades, espalhadas por oito ilhas, foram atingidas, levando a prefeitura de Macapá a decretar situação de emergência.


O açaí é utilizado para venda e consumo dos moradores do bailique. (Foto: Maksuel Martins)


O avanço do Oceano Atlântico afeta na qualidade do fruto, pois está sendo cultivado em um terreno que já não é próprio para a planta e, consequentemente, afeta a renda dos moradores que têm como principal fonte de renda os açaizais. A qualidade de vida desses moradores também é comprometida por esse avanço, a água que antes era doce, já não serve mais para o consumo dos moradores, animais ou plantas daquela região.

Os impactos das mudanças climáticas são enfrentados por toda a população global, desde as grandes cidades até pequenas comunidades.


0 comentário