• AGCom

AUXÍLIO EMERGENCIAL: Governo Federal libera ajuda financeira de 600 reais para os brasileiros

Saiba quem tem direito ao benefício, o passo a passo para participar e tire dúvidas sobre os problemas que acontecem durante o cadastro.


Por: Hendrew Rodrigues


Foto: Imagem da Internet


O Governo Federal liberou, na terça-feira, dia 7, as plataformas para fazer o cadastro e receber o auxílio emergencial de R$ 600,00 a fim de ajudar financeiramente trabalhadores que estão sendo prejudicados, em decorrência das políticas de isolamento social para conter a pandemia do Novo Coronavírus. Este auxílio será pago por três meses para trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e beneficiários do Bolsa Família que optarem por receber o valor do auxílio emergencial.


Devido às politicas de contenção ao Covid-19, que seguem os conselhos da Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde, sobre o isolamento social, muitos setores de serviços foram paralisados por Decretos Estaduais e Municipais para cumprir as medidas de quarentena, especialmente evitar as aglomerações. Assim, os comércios e as instituições educacionais fecharam. Os transportes estão sendo restritos tanto na área urbana como entre as fronteiras nacionais e interestaduais.


Desta forma, fez-se necessária uma política de ajuda financeira para que os cidadãos brasileiros pudessem ficar em casa de forma digna e com alimentos na sua mesa. Para as famílias em que a mulher é a única responsável pelo rendimento familiar, será possível receber R$ 1.200,00.


O auxílio deve contemplar cerca de 54 milhões de brasileiros. Para Maria do Carmo, 36, que é chefe de família e possui 5 filhos, a iniciativa do Governo Federal é uma boa oportunidade para manter as pessoas em casa sem serem prejudicadas “Esse auxílio é importante porque o Governo Federal mostra que se importa com as pessoas que podem ser prejudicadas, assim como eu, que crio meus cinco filhos sozinha e faço faxina recebendo diária de 35 reais. Só que agora vou poder utilizar o dinheiro para comprar comida e remédios e ficar em casa em paz”.


As plataformas disponíveis para o cadastro do auxílio emergencial são o site da Caixa e o aplicativo Caixa Auxílio Emergencial, disponível para celulares (Android e IOS).


A Agência de Comunicação Experimental de Jornalismo (AGCOM) reuniu de forma simplificada informações e critérios necessários para saber quem pode ou não se cadastrar no auxílio emergencial do Governo Federal.















SOBRE O PAGAMENTO

A primeira parcela é liberada em quatro momentos. Ontem, dia 9 de abril, saiu para pessoas que já estão no Cadastro Único e não recebem Bolsa Família e tem conta no Banco do Brasil ou poupança na Caixa. O segundo montante será dia 14 e atende ao mesmo grupo, mas que não tem conta ainda. O terceiro montante sai em 5 dias úteis após inscrição e aprovação dos trabalhadores informais inscritos no programa de auxílio emergencial e o último montante da primeira parcela será nos últimos 10 dias úteis de abril para os beneficiários do Bolsa Família. A segunda parceira será entre 27 e 30 de abril enquanto a terceira parcela será entre 26 e 29 de maio.


Após os três meses de pagamento, as pessoas que optaram por trocar o valor da Bolsa pelo do auxílio deverão ter seus antigos valores normalizados, sem qualquer alteração nos valores que recebiam antes do benefício emergencial.


Quaisquer dúvidas ou informações sobre o Auxílio Emergencial, o interessado pode entrar em contato com o Governo pelo número telefônico 111. Vale ressaltar que o mesmo não faz cadastro de pessoas e é somente para esclarecer possíveis dúvidas.


CADÚNICO

O Cadastro Único, também conhecido como CadÚnico, existe desde 2001. É um sistema de informações desenvolvido pela Presidência da República e foi implantado pela Secretaria de Estado de Assistência Social. Nele, estão armazenadas informações pessoais e, assim, é possível monitorar as condições de vulnerabilidade das famílias de baixa renda e de extrema pobreza, além do cadastro facilitar no processo de inscrição em programas sociais.


Com a divulgação do cadastro de auxílio emergencial, no qual orienta as pessoas fazerem suas inscrições no CadÚnico, muitas reclamações foram geradas e um dos principais problemas é a de que o CPF está dando negativo no App e no site.


Segundo a nota divulgada pela Receita Federal, o motivo desse problema é devido o número alto de acessos que podem ter gerado instabilidade na plataforma e garante que “o cidadão acesse novamente o aplicativo da caixa, em diferentes períodos do dia, buscando seu cadastramento, pois a habilitação pode não ser possível na primeira tentativa” informou o órgão. Além de mencionar a atenção para a digitação do CPF.


Mas uma das formas mais eficientes de saber se o problema é no site ou no CPF, é consultando a sua situação cadastral no site da Receita Federal de forma bastante simples, digite o número do CPF, data de nascimento e faça o teste anti-robô e aparecerá se a situação está regular ou irregular. Uma das principais causas de Cpf negativado é não ter votado nas eleições ou não ter feito o imposto de renda.




POLÍTICAS PÚBLICAS

O Governo Federal, por meio de seu Ministro da Economia, Paulo Guedes, em princípio, lançou a proposta de liberar um auxílio de R$200 para os trabalhadores autônomos do país. Esse valor trouxe descontentamento de diversos trabalhadores, pois mostrava o quanto o Ministro não conhecia as dificuldades que o povo passa no dia a dia, tendo em vista que a média de uma cesta básica é de 300 a 500 reais.


Desde que surgiu a possibilidade de medidas para minimizar os prejuízos, em decorrência do isolamento social por causa da pandemia do Novo Coronavírus, muitos lados da sociedade foram expostos. Houve aqueles que apoiaram e outros que criticaram duramente uma assistência social financeira para manter o #FiqueEmCasa sem a necessidade de ir arriscar a contrair o vírus. Incluindo uma convocação do próprio presidente para retomar o trabalho e voltar à normalidade no país.


Após inúmeras críticas da sociedade e especialistas de economia, assim como oposições políticas, a Câmara dos Deputados decidiu aprovar o valor de R$600,00. Paulo Guedes criticou. De onde tiraria o dinheiro? As prevenções aos riscos econômicos de empresários de banco já estão sendo tomadas por parte da Presidência da República desde o dia 18 de março, quando o Banco Central do Brasil anunciou a compra de títulos soberanos do Brasil para revenda e salvaguardar os bancos com o correspondente a R$ 161 bilhões. De onde vão tirar esse dinheiro?


O atual governo dá vários indícios de que seu real objetivo sempre foi fortalecer os que possuem mais e taxar os que têm menos, e que o dinheiro é mais importante que milhões de vida. Discurso este oficial, em rede nacional, quando o presidente chamou o Covid-19 de apenas uma “gripezinha e resfriadinho”. Chamou as pessoas para voltarem às ruas, conduta na qual mostra menosprezo à vida e prioridade com a economia da elite financeira do país.


A liberação do cadastro, na última terça-feira, 07, revelou, ainda, faces em uma sociedade de corrupção na micro política. Quando foi anunciado o auxílio emergencial, logo surgiram fake News com falsos aplicativos para roubar dados e se aproveitarem do dinheiro, que é para sustentar uma família vulnerável, em riscos socioeconômicos. Isso é golpe, roubo. A pandemia revela também outra doença, moral e ética.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo